Alterar o idioma do Blog - Change the language of the blog.

Postagens Recentes

Publicidade

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Dobradinha criminosa na terra sem Lei, Prefeitura se apropria indevidamente dos descontos dos servidores e Direção da ASERT comete estelionato

A Associação dos Servidores Públicos Municipais de Tucuruí (ASERT), está atravessando a sua pior crise. Nas últimas eleições para direção da ASERT nós alertamos aos servidores dos riscos pra a Associação se pessoas ligadas politicamente ao prefeito assumissem a direção da Associação. 
       
Se as direções anteriores da ASERT, que não tinham vínculo político com o prefeito Sancler Ferreira (PPS), já levavam calote do prefeito que desconta as contribuições dos servidores e não repassava os recursos, imagine agora que esta direção está vinculada politica e pessoalmente ao prefeito?
          
A ASERT está levando calote do Prefeito, e em vez da direção cobrar o prefeito e exigir o repasse dos descontos para pagar as dívidas da Associação, a direção comprometida e cooptada prefere restringir os benefícios prejudicando seus associados, dando calote nas clínicas e comércio e praticando estelionato.
          
Mas os associados da ASERT também são filiados no sindicato e estão exigindo da direção do SINSMUT que tome as devidas providências para que os direitos dos associados da ASERT sejam respeitados, e para que o Prefeito pare de se apropriar criminosa e indevidamente dos descontos dos funcionários da prefeitura.
      
A situação chegou a tal ponto que a atual direção da ASERT está cometendo crime de estelionato emitindo cheques sem fundos para as clínicas conveniadas. Segundo a direção de uma das clínicas o Presidente da ASERT em conversa com o dono de uma das clínicas teria dito que seria mais fácil o mesmo receber a conta se ele fosse “do lado do prefeito”.
        
Nós avisamos sobre o concurso, nós avisamos sobre a ASERT, mas muita gente demora a aprender e só aprende depois que apanha que na administração Sancler Ferreira (PPS), tudo desanda por falta de competência, seriedade e compromisso.
       
Como se não bastasse aos servidores os calotes e as armações do prefeito, agora os servidores tem de aguentar estelionatários na direção da Associação. É o fim da picada.
    
O Prefeito Sancler (PPS) escolhe a dedo seus colaboradores: O Diretor Financeiro do IPASET responde a processo na Justiça Federal por Improbidade Administrativa em Barra do Corda (MA), a empresa que está fazendo o concurso da PMT responde a processo por fraude em concurso público, e a Direção da ASERT apoiada e indicada pelo Sancler (PPS) é estelionatária. É um time e tanto... Estamos é ferrados!!! Pena que não tem Lei em Tucuruí.
            
Clique na imagem para ampliar.
     

E agora o que fazer se TUCURUÍ É O PARAÍSO DA IMPUNIDADE E O PREFEITO ESTÁ ACIMA DA LEI?
           
"Nenhum indício melhor se pode ter a respeito de um homem do que a companhia que frequenta: o que tem companheiros decentes e honestos adquire, merecidamente, bom nome, porque é impossível que não tenha alguma semelhança com eles." (Maquiavel)
             

A responsabilidade sobre o Concurso da Prefeitura de Tucuruí é do Prefeito Sancler Ferreira (PPS)

Muitas pessoas estão comentando e nos criticando de forma injusta e desrespeitosa pelo fato do Folha não denunciar o concurso da PMT.

Nós acreditamos que cada um é responsável por seus atos e decisões, não fizemos nenhum concurso, e nós avisamos que este concurso é fajuto, que o Prefeito estava disponibilizando apenas 20% das vagas, que a empresa que faria o concurso estava sendo processada por fraude no concurso de Salinópolis que inclusive foi anulado e que a empresa havia sido contratada sem licitação. Seria um milagre se este concurso fosse sério.
         
Mesmo assim milhares de pessoas resolveram assumir os riscos, pagaram e se inscreveram em um concurso fajuto que tinha tudo para não dar certo. Neste caso as pessoas que se sentirem prejudicadas devem acionar a justiça, no caso de funcionários municipais estes devem acionar o sindicato e pedir providências.
    
O Folha já fez a sua parte e vai continuar fazendo mostrando e divulgando as irregularidades, cabe agora a cada um defender os seus interesses.
 
Mas ainda faltam 2.000 vagas a serem preenchidas através de concurso publico, e logo após a homologação deste, ai sim estaremos pedindo à justiça que a PMT faça novo concurso para o preenchimento das vagas restantes.
          
Aguardem mais notícias sobre o concurso da Prefeitura de Tucuruí....
            

Servidores Municipais pedem que o sindicato convoque a direção da ASERT para explicar as dificuldades da Associaçãao

Em Assembleia Geral, os servidores municipais decidiram que o Sindicato (SINSMUT) convoque a Direção da ASERT para explicar o porque das clínicas médicas estarem restringindo, e algumas até mesmo cancelando o atendimento médico dos servidores municipais.
         
Caso a direção da ASERT não explique o motivo desta situação que está prejudicando os servidores, o sindicato como legítimo representante da categoria, está autorizado a adotar as medidas judiciais cabíveis.
        
Aguardem mais informações sobre este assunto, aqui mesmo no Folha de Tucuruí.
          

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Nova pesquisa aponta Dilma com 36%, Marina com 27% e Aécio com 15%

       
Em pesquisa realizada pelo Vox Populi e encomendada pela Rede Record, a candidata Dilma Rousseff (PT) aparece na liderança da corrida presidencial com 36% das intenções de voto.
         
A candidata pelo PSB, Marina Silva, possui com 27% das intenções e Aécio Neves (PSDB) com 15%. Na última pesquisa Vox Populi, Marina tinha 28% das intenções de voto. Os outros dois candidatos mantiveram as mesmas porcentagens.
               
Já na pesquisa do IBOPE Dilma tem 36%, Marina, 30%, e Aécio, 19%,
            
Apesar da campanha eleitoral ferrenha da grande mídia, a presidente prossegue liderando as pesquisas eleitorais.

Investigação do MPE pode cassar Jatene

    
Governo teria concedido reajuste de 10% para servidores da Fasepa e Susipe, em período vetado para a concessão de vantagens financeiras.
    
O procurador geral do Estado, Caio Trindade tem até amanhã para repassar, ao Ministério Público Eleitoral informações sobre reajuste de 10% da gratificação progressiva de servidores da educação no Estado e implantação da gratificação de risco de vida para professores da Fundação de Atendimento Socioeducativo do Pará (Fasepa) e da Susipe.
       
Os benefícios podem ter sido concedidos já no período vedado pela lei eleitoral que proíbe a concessão de vantagens financeiras a servidores três meses antes da eleição. Por isso, a medida pode ser enquadrada como conduta vedada pelo artigo 73, inciso VIII da Lei 9.504 (Lei Eleitoral), o que pode levar à cassação do registro do candidato ou até mesmo do diploma caso ele seja eleito.
     
O procurador eleitoral Alan Rogério Mansur da Silva confirmou, na semana passada, a abertura de investigação para apurar suposto crime eleitoral já que a concessão do benefício poderá favorecer o candidato Simão Jatene (PSDB) que concorre à reeleição. Para tomar uma medida, o procurador eleitoral requisitou “informações que esclareçam os termos de reajustes ou vantagens concedidas aos servidores públicos e os documentos que embasaram” a concessão.
         
O ofício ao procurador geral Caio Trindade foi enviado ontem e o prazo para responder é de 48 horas, o que significa que expira nesta quarta-feira, 17. Ontem, por meio da assessoria de imprensa, Mansur informou que vai aguardar as explicações da Procuradoria Estadual para definir que medidas tomar.
           
A concessão de benefícios financeiros feita pelo governo a servidores está prevista no Plano de Cargos, Carreira e Remuneração (PCCR) do magistério, aprovado em 2011. O problema é que a concessão pode ter ocorrido no período vedado pela lei eleitoral como forma de favorecer o governador candidato à reeleição.
       
Desde o início da campanha eleitoral, o Ministério Público vem alertando para possíveis usos da máquina pública. No mês passado, a Procuradoria Regional Eleitoral enviou recomendações aos promotores que atuam em todo Pará para que reforcem a fiscalização de possível uso de servidores públicos em campanha, propaganda irregular em casas legislativas e distribuição de benefícios fora das permissões legais.
             
Uma das principais recomendações era quanto à proibição de criação de programas sociais mantidos pelo Estado e municípios.
         
Fonte: Diário do Pará.
          

Publicidade