Alterar o idioma do Blog - Change the language of the blog.

concurso

Tucuruí é o único município do Pará que não fez concurso público nos últimos sete anos.

quinta-feira, 24 de abril de 2014

Humor


O prefeito quer "escolher" as empresas que participarão da Licitação para o Concurso Público na Prefeitura de Tucuruí



O Prefeito Sancler (PPS) queria fazer a licitação para o Concurso Público da Prefeitura de Tucuruí na modalidade Carta Convite. Desta forma ele escolheria três empresas de sua livre escolha, que participariam da licitação. 
                  
Esta forma de licitação não é ilegal, mas no caso de Concursos Públicos, a escolha das empresas que participarão da Licitação, a nosso ver, compromete a transparência do certame, e transparência depois da competência, é o que mais falta na Prefeitura de Tucuruí.

             
O MPE e os Sindicatos discordam da PMT sobre esta forma de licitação, para dar transparência e evitar direcionamentos, o Edital deve ser publicado e deve participar da Licitação TODAS as empresas interessadas, e não somente as empresas de interesse do prefeito.
            
Agora que o Concurso é inevitável, o MPE e os sindicatos (SINSMUT e SINTEP), precisam fiscalizar o certame atentamente, para garantir a lisura do processo e que somente os candidatos que realmente passarem no concurso consigam ser classificados, evitando-se ao máximo a interferência política no resultado do concurso.
            
Não vai ser fácil fiscalizar o concurso na PMT, começando pela licitação, mas é preciso ficarmos atentos para que os que realmente forem os melhores candidatos, consigam passar e sejam nomeados para o cargo pleiteado.
                   
A sociedade tucuruiense deve cobrar do prefeito Sancler, um concurso transparente para que não reste a menor dúvida sobre a lisura do resultado. Todos os tucuruienses tem o direito de ter uma chance justa de emprego na Prefeitura, todos os candidatos devem passar no concurso de forma legítima e por seus próprios méritos.
        

Dilma sanciona Marco Civil da Internet em Fórum Mundial em São Paulo

Por Wanderley Preite Sobrinho , iG São Paulo.

  
Presidente assinou de forma simbólica a “constituição da internet” na presença de representantes de todo o mundo.
                       
Depois de receber elogios nominais de personalidades como o vice-presidente do Google, Vint Cerf, e do próprio criador da World Wide Web, Tim Berners-Lee, a presidente Dilma Rousseff aproveitou a plateia do NETmundial - fórum global que discute o futuro da internet -, em São Paulo, para sancionar de forma simbólica o Marco Civil da Internet, considerada a constituição brasileira da web, aprovada nesta terça-feira (22) pelo Senado.
         
A presidente iniciou seu discurso agradecendo nominalmente o deputado Alessandro Molon (PT-RJ) e o senador Walter Pinheiro (PT-BA) pela aprovação “em tempo recorde” do Marco Civil.
         
         
         
        
Seu discurso, o mais longo, começou com críticas à espionagem americana a governos internacionais, inclusive o brasileiro. "Em meados de 2013, as revelações de espionagem de monitoramento coletivo provocaram repúdio na opinião pública mundial. Esses fatos são inaceitáveis e continuam a ser inaceitáveis. Atentam contra a natureza da internet, que só é possível com respeito à liberdade de expressão.”
          
Em alfinetadas veladas aos Estados Unidos, Dilma pregou um modelo de internet “multissetorial", com a participação de acadêmicos, empresários, governos e sociedade civil. “Consideramos a perspectiva multilateral. A participação dos governos deve ocorrer em pé de igualdade, sem que um país tenha mais privilégio do que outros.”
       
O final e a parte mais importante de seu discurso centrou no Marco Civil da Internet, aprovado no Senado em tempo recorde graças à pressão do Planalto, que esperava apresentá-lo ao público no fórum de hoje.Wanderley Preite Sobrinho
Manifestantes pró-Snowden levantaram faixas durante o discurso da Dilma, nesta quarta-feira
      
Dilma chamou a lei de “um presente para a web”, que “demonstra a viabilidade de discussões abertas e a utilização inovadora da internet como plataforma desses debates.”
         
“Esse foi um processo virtuoso que nós levamos no Brasil. O nosso Marco Civil também foi valorizado pelo processo de sua construção. Por isso, gostaria de lembrar que ele estabelece princípios, garantias e direitos dos usuários.”
        
A presidente, então, lembrou que a nova lei consagra a neutralidade da rede ao estabelecer que as empresas de telecomunicação devem tratar de maneira isônoma os serviços. “As empresas também não podem bloquear e filtrar os pacotes de dados”, lembrou ela, que completou afirmando que a nova lei protege a privacidade do cidadão em sua relação tanto com o governo quanto com as empresas. "A comunicação é inviolável, salvo por ordem judicial."
         
Ela concluiu dizendo que o Marco Civil “iguala as vozes das ruas, das redes e das instituições” e convidou os participantes para a Copa do Mundo. “Espero que vocês voltem para a Copa, ou assistam pela internet.”
                    

quarta-feira, 23 de abril de 2014

Conselheiro denuncia o Superintendente e Diretoria do IPASET ao Ministério Público Estadual

             
O Conselheiro Administrativo do IPASET (Previdência dos Servidores do Município de Tucuruí) Senhor José Junatas da Costa, denunciou ao Ministério Público Estadual, várias ilegalidades praticadas pelo Superintendente do IPASET Senhor Ronaldo Voloski e demais membros da Diretoria, o Conselheiro denunciou ao MPE, que além dos fatos apresentados, existem inúmeros outros indícios que levam à crer que outras ilegalidades administrativas na administração do IPASET, podem ter sido praticadas pela direção daquele órgão desde a sua criação.
             
A impunidade e a blindagem que goza o Poder Público em Tucuruí, em que graves denuncias COMPROVADAS e tornadas públicas durante anos à fio, tem como regra cair no vazio esquecidas e sepultadas em gavetas mofadas, incentiva cada vez mais as práticas ilegais e os crimes contra a Administração Pública em nosso município.
                       
Estas práticas não só têm causado irreparáveis prejuízos aos cofres públicos e a toda a população do município, mas também contribui para o desgaste da imagem das instituições e o descrédito do povo de Tucuruí para com a Lei e a Justiça.
                    
Confiamos em Deus que um dia o Interesse Público e a Lei vão prevalecer acima da impunidade e dos interesses inconfessáveis e espúrios, que imperam acintosamente em nossa amada Tucuruí.
               
Nossos parabéns e o nosso reconhecimento ao Professor José Junatas, pela sua coragem, seriedade, espírito público e competência como Conselheiro Administrativo do IPASET e representante dos Servidores Públicos Municipais de Tucuruí.
         
Abaixo o relatório do Conselheiro Administrativo do IPASET.
                   
         
            
Abaixo o relatório/denúncia do Conselheiro que foi protocolado no Ministério Público Estadual.

       
   
           
Para fazer o download do arquivo com os dois relatórios e alguns dos documentos que foram apresentados ao MPE, Clique Aqui.
              

terça-feira, 22 de abril de 2014

Matéria para amanhã: Conselheiro do IPASET denuncia o Superintendente e Diretor do órgão ao Ministério Público


                  
Amanhã publicaremos o relatório do Conselheiro do IPASET Sr. José Junatas da Costa, em que o mesmo faz inúmeras e graves denúncias contra o Superintendente Ronaldo Voloski e demais diretores da instituição.
        
Vamos publicar ainda o Relatório/Denúncia protocolado no Ministério Público Estadual que relata diversas irregularidades e ilegalidades praticadas pela direção do IPASET. Também publicaremos alguns dos documentos apresentados ao MPE, não publicaremos todos, pois por ser um volume muito grande de documentos ocuparia muito espaço no blog.
         
Se preparem servidores municipais e população de Tucuruí, porque as denuncias são muito graves. 
         
Esperamos que a justiça apure com rigor as denuncias do Conselheiro do IPASET, esperamos que haja menos complacência para com os crimes e ilegalidades praticados pela Administração Pública em Tucuruí, que a justiça cumpra e faça cumprir a Lei.
        
A sociedade tucuruiense não pode mais conviver com a ilegalidade e com a impunidade em nosso município.